Blog do Ohata

Arquivo : FPF

Corinthians alcança rivais em premiação da FPF que distribui R$ 1,6 milhão
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O Corinthians é a novidade no grupo dos clubes de práticas de gestão mais bem avaliadas pelo Programa de Excelência, organizado desde o ano passado pela FPF (Federação Paulista de Futebol).

Em 2017, Palmeiras, São Paulo e Santos ocuparam a categoria “Prata”, enquanto o clube do Parque São Jorge teve de se contentar com o “Bronze”, terceira e última categoria do programa. Este ano, os quatro grandes de São Paulo, entre outros clubes, ocuparam a categoria “Ouro”.

O programa, que este ano distribuiu R$ 1,6 milhão (em 2017 foram R$ 330 mil), avalia os clubes durante o ano em dez quesitos, entre eles negócios, desempenho técnico, torcida, base, estádio, finanças,  gestão e infraestrutura. Não há comparação direta entre os números dos clubes, o parâmetro para decidir o grupo no qual o clube serão inserido é uma comparação com a avaliação do ano anterior. A adesão este ano foi superior a 90% dos clubes do Paulista e da Série A2.

A lista por grupos:

Ouro

Corinthians

Palmeiras

Santos

São Paulo

 

Ponte Preta

São Caetano

Botafogo-SP

Juventus

XV de Novembro

Novorizontino

Ituano

Mirassol

Red Bull Brasil

Sertãozinho

 

Prata

Capivariano

Linense

Água Santa

Santo André

Taubaté

Ferroviária

Osasco

Rio Branco

São Bernardo

 

Bronze

Bragantino

Penapolense

Votuporanguense

Paulista

Rio Claro

São Bento

 

 

 

 

 


São Paulo antecipou cotas com a FPF para fechar orçamento de 2017
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O São Paulo antecipou cotas de TV da Globo referente ao Campeonato Paulista para fechar as contas de 2017. O valor antecipado pelo clube junto à Federação Paulista de Futebol foi de cerca de R$ 8 milhões e se referem aos meses de março e abril deste ano.

Segundo apurou o UOL Esporte, o clube do Morumbi passou por dificuldades com seu fluxo de caixa nos últimos meses do ano e necessitava de dinheiro para saldar as obrigações relacionadas a pagamento de direitos federativos, honorários de agentes de jogadores e gastos com fornecedores. Essas operações pontuais referentes a despesas do dia-a-dia não precisam da aprovação do conselho deliberativo graças a um acordo prévio .

Também está na mira dos cartolas são-paulinos as luvas referentes aos direitos de TV aberta do Brasileiro a partir de 2019 cuja negociação está em andamento com a Globo. A emissora chegou a oferecer R$ 20 milhões, mas a proposta foi vetada pelo conselho deliberativo durante a corrida eleitoral que culminou na reeleição de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, no ano passado. Clube e e representantes da emissora voltaram a conversar sobre o assunto posteriormente, mas sem chegar a um acerto até o momento.

 


Globo transmitirá final da Copa São Paulo na TV aberta para o país inteiro
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A Globo transmitirá a final da Copa São Paulo, entre Flamengo e São Paulo, nesta quinta (25), a partir das 10h, na TV aberta ao vivo para o Brasil inteiro. A transmissão será para a rede, segundo Globo e FPF (Federação Paulista de Futebol), organizadora da Copinha.

Outras finais tiveram transmissões de abrangência nacional, nas edições de 2015, que caiu em um domingo e foi encaixada na programação do “Esporte Espetacular”, e em 2016, a iniciativa foi por conta de a final reunir Corinthians e Flamengo, dois dos times mais populares do país.

Desta vez, porém, a ideia, que já vinha sendo debatida há algum tempo, ganhou força dentro da Globo por dois motivos: os bons índices de audiência alcançados pelas partidas do Brasil no Mundial sub-17 exibidas no ano passado, e dos jogos de competições nacionais como semifinais da Copa do Brasil e Libertadores para fora de suas praças habituais.

Há, dentro da emissora, um novo entendimento de que vale a pena investir também em competições de base do futebol. Ajudou, claro, a decisão reunir dois dos maiores clubes do país e o calendário do futebol nacional ainda não estar totalmente aquecido.

A Federação Paulista de Futebol fez um trabalho para que essa fosse a edição da Copa São Paulo com o maior número de jogos exibidos.

 


Copa São Paulo terá maior número de transmissões de jogos da sua história
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A edição da Copa São Paulo de 2018 terá o maior número de transmissões de partidas de sua história. A expansão se deve ao fato de 128 times estarem inscritos na competição que tem início dia 2 de janeiro, quebrando o recorde estabelecido na edição anterior (120).

Este ano foram exibidos pouco mais de cem jogos.

A Federação Paulista de Futebol fechou com ESPN, SporTV, Rede Vida e Globo, que exibirá a final. A federação planeja expandir a transmissão online de lançando mão, novamente, da TV FPF, hospedada no site da entidade, pela qual internautas de fora de São Paulo poderão acompanhar as partidas dos times de seus estados não-contemplados pelas TVs.

Tiveram transmissão exclusivamente online jogos como o da estreia da Chapecoense e alguns de times como Grêmio, Internacional, Vitória, Bahia e Atlético-PR, entre outros.


Com Lusa como aposta, Copa Paulista terá jogos transmitidos pela Fox Sports
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A Fox Sports renovou com a Federação Paulista de Futebol o contrato de transmissão da Copa Paulista e exibirá a fase final completa a partir deste sábado (4), com Lusa x Ferroviária e Inter de Limeira e XV de Piracicaba.

No ano passado, a emissora de TV a cabo exibiu quatro partidas. Mas esse ano as quatro semifinais e mais os jogos de ida e volta da final serão exibidos.

O canal apostou na Copa Paulista, que vinha sendo transmitida via online pela FPF, por causa de uma lacuna na sua grade de programação provocada por uma data Fifa.

A renovação foi justificada pela audiência em linha com o investimento feito e a expectativa de que seja maior nesta edição por conta da participação da Lusa, que no ano passado disputava a terceira divisão, e não participou em 2016.


Presidente da FPF visita Premier League e estuda ideias para futebol de SP
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, reuniu-se nesta terça-feira (24) com Tim Vine, diretor de relações internacionais da Premier League, para conhecer e discutir as práticas da mais badalada liga de futebol do mundo.

Tim Vine, da Premier League, e Reinaldo Carneiro Bastos, da FPF

Bastos, que viajara a Londres para participar da cerimônia de premiação da Fifa como um dos representantes da Conmebol, salvou informações sobre o estatuto da Premier League, organização das eleições, contratos com TVs e patrocinadores e mecanismo de repasse aos clubes, gestão da primeira e segunda divisão e, especialmente, o funcionamento do comitê de arbitragem.

O cartola reconhece que nem tudo o que funciona fora serve para o Brasil. Por isso mesmo a ideia é verificar quais dos conceitos trazidos em sua mala podem ser “tropicalizados”.

Vine, que foi presenteado com um camiseta da seleção brasileira, demonstrou interesse em vir ao Brasil para conhecer o futebol do país, em uma espécie de intercâmbio.

 

 


Modesto Roma explica na FPF como sai em conta ter um time feminino campeão
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Pelos cálculos do presidente do Santos, Modesto Roma, o custo mensal da equipe campeã brasileira feminina na temporada foi de R$ 100 mil mensais. Valor menor do que o salário de muito jogador. A relevância de saber qual a fórmula do sucesso do clube da Vila Belmiro aumenta à luz da exigência da Conmebol de que os participantes da Libertadores tenham equipe feminina a partir de 2019.

Modesto e o analista de contratos do clube, Amauri Nascimento, participarão de um seminário sobre futebol feminino, organizado pela Federação Paulista de Futebol, em sua sede na Barra Funda, na próxima segunda-feira.

As Sereias da Vila conquistaram pela primeira vez o Brasileiro há poucos dias, derrotando o Corinthians. Referência no país, o time feminino chegou a encerrar as atividades no fim de 2012, e foi retomada em 2015 por Modesto.

Além dos santistas, o seminário também terá a presença da treinadora da seleção feminina, Emily Lima, Daniela Castro, secretária-adjunta da Secretaria de Esportes de São Paulo, Marco Aurélio Cunha, coordenador de seleções femininas da CBF, entre outros especialistas.

A própria FPF mantém um departamento de futebol, comandado pela ex-capitã da seleção Aline Pellegrino. Este ano a federação criou o Paulista feminino sub-17, conquistado pelo São Paulo.


Fair play de Rodrigo Caio será homenageado em discurso de presidente da FPF
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O ato de fair play de Rodrigo Caio no clássico com o Corinthians será elogiado na festa de premiação do Campeonato Paulista pelo presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, em seu discurso no evento.

Na federação, chegou-se a cogitar premiar o a zagueiro durante a cerimônia de premiação do Paulista, que acontece hoje à noite, com uma honraria do tipo medalha Pierre de Cobertin, atribuída pelo Comitê Olímpico Internacional a atletas que demonstrem alto grau de desportividade e espírito olímpico durante a disputa dos Jogos.

Porém como a festividade será protagonizada por um time que não será o São Paulo, no caso o Corinthians, que sagrou-se neste domingo campeão paulista sobre a Ponte Preta, cartolas da federação acharam melhor evitar uma eventual saia-justa, o blog apurou.

Mas não está descartado que o atleta receba algum tipo de homenagem um pouco mais para a frente.

A atitude de Rodrigo Caio, embora elogiada pela mídia e até pelo técnico da seleção, Tite, à época gerou um clima pesado no São Paulo.

O caso foi acompanhado de perto pela federação, e o vice de integração com atletas da FPF, Mauro Silva, entrou em contato com o jogador para perguntar se estava tudo bem e oferecer apoio em nome da instituição.

O episódio no qual o zagueiro avisou o árbitro que fora ele, e não Jô, quem pisou no goleiro Renan Ribeiro transcendeu o esporte e chamou a atenção até de quem não costuma acompanhar esporte.


Paulista manterá mesma fórmula, com 16 times divididos em grupos, em 2018
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O Campeonato Paulista seguirá o mesmo formato adotado este ano, com 16 clubes, 18 datas e disputa em grupos, no ano que vem.

Dois pontos do formato deste ano chegaram a ser questionados por cartolas de clubes: o número de rodadas e o formato de grupos, que poderia provocar “injustiças” se um time caísse em um “grupo da morte”, o que acabou acontecendo com o Santos nesta edição.

Uma alternativa, segundo cartolas de clubes grandes insatisfeitos com o número de partidas, seria reviver o formato no qual haveria uma pré-classificatória sem a participação dos 4 grandes. Mas a ideia nem sequer foi apresentada à FPF.

O primeiro argumento da Federação Paulista de Futebol a favor da manutenção é a necessidade de tempo de maturação para a competição antes que seja feita uma nova mudança.

O segundo motivo trata do bolso dos clubes.

Segundo a FPF, durante a competição, foi verificado aumento do público médio e total, mesmo com menos partidas em relação à fórmula anterior, o que se reverte em mais dinheiro no caixa dos clubes.

Além disso, segundo a FPF, ao jogar no interior, os clubes grandes ajudam a fomentar o futebol nessas cidades, além de fortalecer suas franquias locais ao “conversar” com torcedores de todo o Estado.

Finalmente, em terceiro lugar, para a federação, o formato atual propicia muito poucos jogos ruins, sem interesse, ou qualidade técnica, ao apontar que nas 12 primeiras datas, há clássicos rodada sim, rodada não. Depois disso, as quartas de final, as semis e as duas partidas da final.


À la Champions, Paulista pode ter teto de 25 inscritos, e uso livre da base
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A Federação Paulista de Futebol encaminhará aos clubes uma proposta que atende a uma de suas principais reivindicações: Condições para escalar atletas de suas bases no Paulista para propiciar experiência a eles.

Hoje, alegam cartolas de clubes que disputam o Paulista, incluindo os quatro grandes, o limite de 28 inscritos por time impede a inclusão de muitos garotos da base em suas equipes. Com tão poucas vagas na competição, têm que colocar suas fichas em profissionais tarimbados, e não apostar e jovens promessas.

A proposta para o Paulista-2018, segue o exemplo do que é feito na Champions e em algumas ligas da Europa: Diminuir o limite de 25 inscritos do profissional, porém permitir a inscrição de um número ilimitado de atletas da base.

Dentro da federação, há o entendimento de que limitar é importante para a saúde financeira dos clubes, que não podem contratar jogadores a qualquer custo.

A proposta tem como idealizadores o presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, e o vice de integração com atletas, Mauro Silva, que ouviram os questionamentos dos clubes.

A ideia será apresentada e debatida com os clubes, que decidirão a forma adotada para o ano que vem.

Pelo menos um técnico de clube “grande” da capital já discutiu a ideia da redução de 28 para 25 inscritos e a liberação da base com Mauro Silva, o blog apurou.

Um ponto importante que precisa ser definido, caso a proposta seja aceita, é qual a definição de “base”. É necessário responder questões como “quantos anos cada jogador deve estar em seu clube para que possa ser inscrito como jogador de base daquele time”?

Uma das tendências mais fortes, adotada na Europa, é estabelecer 18 meses como período mínimo de permanência no clube para que o jogador seja considerado da sua “base”.

Essa exigência do período mínimo da ligação do atleta com o clube visa evitar que uma equipe adquira um jogador de outra equipe e o inscreva pouco tempo depois como se fosse um produto de sua própria categoria de “base”.

Além disso, será necessário definir qual é a idade limite para que o jogador seja considerado da “base”. A ideia mais forte, por enquanto, é que ele seja sub-20.