Blog do Ohata

Arquivo : Santos

Processo de ex-funcionário do Santos colaborou para Geuvânio optar pelo Fla
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A opção de Geuvânio pelo Flamengo em seu retorno da China se deu principalmente por motivos financeiros, porém colaborou para sua decisão uma rusga jurídica que envolve um ex-funcionário do Santos, seu ex-clube.

O atleta não esconde sua gratidão ao Santos, onde foi profissionalizado e conquistou o bicampeonato paulista. Chegou a estar na lista de dispensas no fim de 2011, incluído por Muricy Ramalho e pelo gerente Nei Pandolfo, mas o então presidente Luiz Álvaro de Oliveira Ribeiro, interveio e o manteve na Vila Belmiro, fato do qual se orgulhava.

Em sua saída da China, o Santos sinalizou ao atleta e a seu procurador, Claudio Guadagno, que igualaria os vencimentos mensais que o meia-atacante receberá no Flamengo, cerca de R$ 600 mil. Mas avisou que não pagaria luvas, um investimento de R$ 1,5 milhão.

Além disso, existe no contrato de negociação dos direitos de Geuvânio entre Santos e Tiankin Quanjian, cláusula de exclusividade de retorno ao Brasil no Santos, no valor de 500 mil euros no caso de descumprimento, o blog apurou. O Santos entende que o valor é devido pelo clube chinês e, apenas em caso do não-pagamento pelo Tiankin Quanjian o clube da Vila Belmiro acionaria a Fifa.

Colaborou ainda na escolha do jogador pela Gávea um processo que corre na Justiça de Santos envolvendo o jogador e o advogado Julio Mineiro, que alega ter um contrato de representação esportiva com Geuvânio.

Segundo a ação, à qual o blog teve acesso, o contrato dava poderes de negociação ao advogado, que teria direito a 20% do que o atleta recebesse na negociação de seus direitos econômicos.

Porém, à época da assinatura, em 1º de setembro de 2012, o advogado era funcionário do Santos, um dos responsáveis pela divisão de contratos do departamento jurídico do clube e tinha como uma das funções elaborar contratos de atletas com a agremiação. Ele ocupou a função até outubro de 2015, quando foi dispensado na gestão de Modesto Roma.

Luiz Alvaro era o presidente e o responsável pelo jurídico, o advogado João Vicente Gazzolla, conselheiro do clube e presidente do movimento de oposição Santos 100 Fronteiras.

Segundo interlocutores de pessoas muito próximas ao jogador, ele ficou chateado com a querela judicial envolvendo justamente um ex-funcionário do clube, o que foi citado como um motivo a mais para o meia não fechar com o Santos.

O jogador não é citado oficialmente no processo, situação que seria facilitada por sua presença na cidade de Santos.

Procurado pelo blog, o estafe jurídico de Geuvânio afirmou desconhecer o caso, já que o jogador ainda não foi citado pela Justiça.

O blog entrou em contato com Julio Mineiro, que combinou falar sobre a situação por e-mail, o que não havia ocorrido até o fechamento deste post.

Gazzolla afirmou que não tinha conhecimento de o então subalterno havia assinado um contrato com Geuvânio.

 

 


Levir implanta discurso simples, diplomacia e menos marketing no Santos
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Foram apenas três dias de trabalho até sua estréia no banco, contra o Palmeiras, nesta quarta-feira, mas Levir Culpi já deixou claro para torcedores, atletas e cartolas do Santos, a diferença de seu estilo para o do antecessor, Dorival Junior.

Acostumados com Dorival, que em seu discurso tático fazia referências a esquemas e ao estilo de jogo do Barcelona e do técnico Guardiola no Manchester City, atletas ficaram encantados com a forma simples que Levir coloca suas idéias.

“Eu penso que o futebol tem apenas: atacar e defender. Pretendemos que o Santos faça isso da melhor forma possível”, disse Levir durante entrevista.

“Denominação de esquema tático é moderno, mas hoje em dia ninguém consegue facilmente escalar um time titular em nenhuma equipe brasileira. Hoje qual é o time titular do Santos? Antigamente todos lembravam de Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe”, finalizou, mostrando inteligência emocional e agradando conselheiros do clube ao reverenciar as glórias passadas do time, em entrevista na TV Santa Cecília, emissora de outra figura ligada ao clube, o ex-presidente Marcelo Teixeira.

“Estou montando o time com base no que o Elano, o Marcelo Fernandes e o Serginho Chulapa me passaram. Não dá para colocar um estilo próprio em tão pouco tempo de trabalho”, complementou, diplomaticamente.

Levir ressaltou que não fez questão de implantar seu estilo em dois dias de trabalho, dividindo a responsabilidade com a comissão técnica permanente do clube.

Levir relacionou para a partida de hoje os argentinos Vecchio e Fabian Noguera, que pouco eram aproveitados por Dorival, o que agradou dentro do ambiente do clube.

 


‘Curinga da Vila’, técnico Elano decreta fim das improvisações no Santos
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Quando em atividade como jogador, Elano, que dirige o Santos hoje frente ao Botafogo como técnico interino, ficou conhecido como o “Curinga da Vila”, apelido com o qual é lembrado por muitos até hoje.

Por isso mesmo, não deixou de ser percebida com certa ironia sua promessa do fim de jogadores em posições que não são as de origem, como fazia Dorival Junior, que improvisou o meia Jean Motta e o atacante Copete na lateral-esquerda. “Não gosto de deixar ninguém fora de posição. Isso permite cobrar o atleta na posição que ele gosta de jogar, e eu cobro mesmo”, argumentou Elano.

Foi após vencer o Campeonato Brasileiro de 2002, jogando na meia, que Elano ganhou o apelido de “Curinga da Vila”, pela versatilidade para jogar em outras posições.

Na verdade, o apelido foi herdado de Lima, do Santos bicampeão mundial e que só não jogou no gol porque o arqueiro improvisado do time, quando necessário, era ninguém menos do que Pelé.

Sob o comando de Emerson Leão, mas também com Vanderlei Luxemburgo, Elano atuou como volante, atacante e lateral-direito. Só em 2003, ele atuou nessas posições ao longo da temporada, o que se repetiu até 2005, quando partiu para o Shakhtar Donetsk.

Como o Santos já acertou com Levir Culpi, a partida de hoje deve ser a primeira e, por ora, única partida de Elano no comando do Santos.

O fato é que o clube é tido como um dos maiores formadores de atletas e, o que é dado pouca atenção, treinadores. Dentre os 11 técnicos com títulos de expressão no clube, seis foram atletas do próprio Peixe ou iniciaram a carreira na Vila Belmiro: Bilu (Paulista-35), Lula (bimundial 62-63), Antoninho (Recopa Mundial de 68), Pepe (Paulista-73), Formiga (Paulista-78) e Marcelo Fernandes (Paulista-15). O clube também deu oportunidade e lançou Claudinei Oliveira (Avaí), Marcio Fernandes (XV de Piracicaba), Marcelo Martelotte (dirigiu Santa Cruz, Sport e Paraná) e Narciso (dirigiu Penapolense e XV de Piracicaba).

Se o time corresponder contra o Botafogo isso provará eventuais erros de Dorival ou a competência e visão de Elano? O tempo dirá.

Mas apostar em ídolos no banco pode, sim, dar certo.

Afinal, qual time Zidane dirigiu antes de se consagrar bicampeão da Europa com o Real Madrid?


Abaixo-assinado no Santos pede expulsão de pré-candidato Odir Cunha
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O jornalista Odir Cunha virou alvo de um abaixo-assinado que circula entre conselheiros do Santos e que pede sua expulsão ou suspensão do conselho deliberativo do Santos. Cunha, pré-candidato à eleição no clube, no final do ano, vê motivação política.

As acusações a ser apresentadas à Comissão de Inquérito e Sindicância do conselho são o de Odir ter “propalado informações que obteve através de sua condição de conselheiro de forma deturpada e inverídica”.

Os principais trechos creditados pelo documento a Cunha são:

“…as práticas da gestão de Modesto Roma continuam obscuras, enganadoras, suspeitas…”, “… anuncia-se um superavit, mas não há superavit nenhum…”. Também é citado o fato de o jornalista ter acusado membros do conselho de votarem “politicamente”, sem ler relatórios, além de apontar “suspeitas de fraudes” nas contas e chamar o ex-presidente Marcelo Teixeira de “dono do Santos”.

O documento pede sua “eliminação do quadro associativo” ou “pena de suspensão” por “conduzir assuntos pertinentes ao clube fora do plenário e colocar em xeque a probidade, integridade, honradez e honestidade de seus pares”.

O jornalista, por sua vez, ao ser informado pelo blog da lista, não demonstrou surpresa e disse ver motivações políticas.

“Eu sou pré-candidato à eleição à presidência do Santos em dezembro, e essa pode ser uma forma de o presidente Modesto Roma se ver livre do mais forte adversário de oposição”, argumenta Odir, autor de 11 livros sobre o Santos, curador do Museu Pelé e biógrafo do “Rei do Futebol”.

Ele argumenta não ter usado termos ofensivos e defende as acusações veiculadas por meio de seu blog.

“Se houve realmente superavit nas contas do Santos, porque o presidente [Modesto Roma] foi procurar empréstimo de R$ 13 milhões para pagar as contas do mês? E há no clube pessoas desqualificadas e sem background profissional para suas funções, com salários entre R$ 20 mil e R$ 30 mil. O que pode ser isso senão um plano de manutenção de poder?”, pergunta, de forma retórica, Odir.

“É possível que me excluam do conselho. Vou ficar muito triste e decepcionado com quem assinar e, quando a tiver em mãos, vou divulgar os nomes”, diz Odir. “Sou jornalista há 40 anos e jamais fui processado, o que mostra que o que eu falo tem propriedade.”


Paulista manterá mesma fórmula, com 16 times divididos em grupos, em 2018
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O Campeonato Paulista seguirá o mesmo formato adotado este ano, com 16 clubes, 18 datas e disputa em grupos, no ano que vem.

Dois pontos do formato deste ano chegaram a ser questionados por cartolas de clubes: o número de rodadas e o formato de grupos, que poderia provocar “injustiças” se um time caísse em um “grupo da morte”, o que acabou acontecendo com o Santos nesta edição.

Uma alternativa, segundo cartolas de clubes grandes insatisfeitos com o número de partidas, seria reviver o formato no qual haveria uma pré-classificatória sem a participação dos 4 grandes. Mas a ideia nem sequer foi apresentada à FPF.

O primeiro argumento da Federação Paulista de Futebol a favor da manutenção é a necessidade de tempo de maturação para a competição antes que seja feita uma nova mudança.

O segundo motivo trata do bolso dos clubes.

Segundo a FPF, durante a competição, foi verificado aumento do público médio e total, mesmo com menos partidas em relação à fórmula anterior, o que se reverte em mais dinheiro no caixa dos clubes.

Além disso, segundo a FPF, ao jogar no interior, os clubes grandes ajudam a fomentar o futebol nessas cidades, além de fortalecer suas franquias locais ao “conversar” com torcedores de todo o Estado.

Finalmente, em terceiro lugar, para a federação, o formato atual propicia muito poucos jogos ruins, sem interesse, ou qualidade técnica, ao apontar que nas 12 primeiras datas, há clássicos rodada sim, rodada não. Depois disso, as quartas de final, as semis e as duas partidas da final.


Veja porque grupo que fechou com EI cria figura jurídica para negociar TV
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O medo de que algum clube “pulasse fora do barco” em meio às negociações fez com que o grupo de cinco clubes que fecharam os direitos de TV fechada com o canal Esporte Interativo e agora negociam TV aberta e pay-per-view com a Globo criar se unir por meio de uma pessoa jurídica.

O grupo é integrado por Palmeiras, Santos, Bahia, Atlético-PR e Coritiba.

“Com isso, queremos evitar que um dos clubes ‘roa a corda’, ou seja, dê para trás, como já aconteceu”, explica Pedro Henriques, vice-presidente do Bahia, em referência a agremiações como Fluminense e São Paulo. “Os presidentes, vices ou departamentos jurídicos dos cinco clubes já se reuniram várias vezes, em Curitiba, em São Paulo, e nosso objetivo é formalizar juridicamente nossa união.”

Por mais contraditório que pareça, a união do quinteto em uma pessoa jurídica é positiva até para a Globo, com quem negociarão.

O fato de terem anunciado por meio da mídia que estavam negociando em bloco, mas sem formalizar a união, começou a tornar as negociações confusas para executivos de TV, o blog apurou. Eles não têm segurança de que quando um cartola de um clube alega falar pelos outros, ele de fato tem “procuração” para representá-los e por isso, não sabem qual o “peso” conferir a seus discursos.

A formação de uma pessoa jurídica para negociar eliminaria esse tipo de confusão.

Desde a implosão do Clube dos 13, em 2011, os clubes não se uniam em torno de uma pessoa jurídica para fazer negociações em bloco.


À la Champions, Paulista pode ter teto de 25 inscritos, e uso livre da base
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A Federação Paulista de Futebol encaminhará aos clubes uma proposta que atende a uma de suas principais reivindicações: Condições para escalar atletas de suas bases no Paulista para propiciar experiência a eles.

Hoje, alegam cartolas de clubes que disputam o Paulista, incluindo os quatro grandes, o limite de 28 inscritos por time impede a inclusão de muitos garotos da base em suas equipes. Com tão poucas vagas na competição, têm que colocar suas fichas em profissionais tarimbados, e não apostar e jovens promessas.

A proposta para o Paulista-2018, segue o exemplo do que é feito na Champions e em algumas ligas da Europa: Diminuir o limite de 25 inscritos do profissional, porém permitir a inscrição de um número ilimitado de atletas da base.

Dentro da federação, há o entendimento de que limitar é importante para a saúde financeira dos clubes, que não podem contratar jogadores a qualquer custo.

A proposta tem como idealizadores o presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, e o vice de integração com atletas, Mauro Silva, que ouviram os questionamentos dos clubes.

A ideia será apresentada e debatida com os clubes, que decidirão a forma adotada para o ano que vem.

Pelo menos um técnico de clube “grande” da capital já discutiu a ideia da redução de 28 para 25 inscritos e a liberação da base com Mauro Silva, o blog apurou.

Um ponto importante que precisa ser definido, caso a proposta seja aceita, é qual a definição de “base”. É necessário responder questões como “quantos anos cada jogador deve estar em seu clube para que possa ser inscrito como jogador de base daquele time”?

Uma das tendências mais fortes, adotada na Europa, é estabelecer 18 meses como período mínimo de permanência no clube para que o jogador seja considerado da sua “base”.

Essa exigência do período mínimo da ligação do atleta com o clube visa evitar que uma equipe adquira um jogador de outra equipe e o inscreva pouco tempo depois como se fosse um produto de sua própria categoria de “base”.

Além disso, será necessário definir qual é a idade limite para que o jogador seja considerado da “base”. A ideia mais forte, por enquanto, é que ele seja sub-20.


Com mais de 500 mil inscritos no Youtube, Palmeiras é ‘maior das Américas’
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O Palmeiras superou a marca de meio milhão de inscritos no Youtube (528 mil), e detém o melhor número de um time das Américas, e a nona melhor marca entre equipes de futebol no mundo.

O segundo time brasileiro com mais seguidores no Youtube no país e nas Américas é o Santos, com 446 mil seguidores.

O time do Parque Antarctica superou a Juventus (519,5 mil). Em oitavo, com pouco menos de 20 mil inscritos à frente do time brasileiro, está o Liverpool (547,7 mil).

Na era em que saber utilizar as mídias sociais vem ganhando importância, vide o episódio do jogo entre Atlético-PR e Coritiba, exibido por Facebook e Youtube, e a projeção alcançada pela Chapecoense que pode ser mensurado por meio das mídias sociais, a equipe alviverde consegue um status interessante.

O top 10 fica assim, com números arredondados:

1) Barcelona: 2,8 milhões
2) Real Madrid: 2,2 milhões
3) Manchester City: 860 mil
4) Bayern: 632 mil
5) Al Hilal: 598 mil
6) Chelsea: 592 mil
7) Arsenal: 548 mil
8) Liverpool: 548 mil
9) Palmeiras: 528 mil
10) Juventus: 519 mil

Considerados os últimos seis meses, o Palmeiras apresentou crescimento de 91 mil inscritos.

Menos do que Barcelona (288 mil), Manchester City (124 mil), Real Madrid (119 mil) e Arsenal (100 mil). Porém mais do que Bayern (81 mil), Chelsea (61 mil), Al Hilal (36 mil), Liverpool (76 mil) e Juventus (36 mil).


Show de luzes e bandeira gigante marcarão abertura noturna do Paulista-2017
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Um show de luzes, nos moldes do que marcou a Olimpíada do Rio, fogos e a volta da bandeira gigante do Santos, vista no fim de semana no amistoso do time da Vila Belmiro, serão atrações à parte na abertura do Paulista-2017.

Até para propiciar as condições necessárias para o show, a partida inaugural do Estadual, entre Santos e Linense, foi marcado para às 21h de sexta-feira, com transmissão do SporTV.

O show de luzes no gramado da Vila Belmiro, uma tendência que vem substituindo os tradicionais espetáculos de dança,  começará uma hora antes, às 20h.

Santistas pediram permissão à federação para, de novo, trazer a bandeira gigante do clube, assim como ocorreu no Pacaembu.


Globo é atendida e exibirá jogos do Palmeiras e Flamengo na Libertadores
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A Globo recebeu a confirmação de que poderá transmitir todos os jogos de Palmeiras e Flamengo na fase de grupos da Libertadores deste ano, o blog apurou.

A emissora havia feito o pedido junto à organização da competição e aguardava a resposta, que foi positiva.

Nesta fase, as equipes tem seis jogos cada.

Tradicionalmente, a Globo aposta no Corinthians, mas sem o time do Parque São Jorge ou São Paulo na competição, o canal optou por prestigiar o clube campeão brasileiro.

Curiosamente, todas as suas partidas foram alocadas pela organização do torneio para quartas-feiras.

Na TV fechada, SporTV e Fox Sports repartirão as partidas da Libertadores e da Copa do Brasil, conforme o blog antecipou.

As partidas do Palmeiras na fase de grupos estão marcadas para acontecer nos dias 8/3, 15/3, 12/4, 26/4, 3/5 e 24/5.

Os jogos já listados do Santos estão previstos para terças ou quintas-feiras, dias em que tradicionalmente não há transmissão na TV aberta, com exceção apenas de uma (19/4).

Nem os jogos do Corinthians no Paulista colocam em risco a transmissão das partidas do Palmeiras, pelo menos na primeira fase do Estadual.

A equipe do Parque São Jorge não tem jogos marcados para as mesmas datas das partidas do Palmeiras.

Os jogos do Flamengo pela fase de grupos da Libertadores acontecem também exclusivamente às quartas-feiras: 8/3, 15/3, 12/4, 26/4, 3/5 e 17/5.