Blog do Ohata

Arquivo : Copa do Mundo

Divisão de cotas da Copa do Mundo: Boa para a seleção, ruim para os clubes
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A nova distribuição de vagas para a Copa de 2026 deve ser ainda mais positiva para a seleção brasileira, porém deve prejudicar uma velha tentativa dos clubes do país. Se o selecionado nacional vê diminuir as chances de ficar fora de Mundiais, os times brasileiros ficam mais distantes da possibilidade de colocar em prática a ideia de um campeonato que junte equipes filiadas a Conmebol e a Concacaf.

Uma das possibilidades que foi ventilada quando a Fifa aumentou o número de vagas era uma unificação das Américas para escolher os classificados para o Mundial.

Com isso, o que se esperava era uma união entre Conmebol e Concacaf que poderia se estender aos clubes. Sem esse cenário, se dificulta a organização de um torneio verdadeiramente continental, com a chancela das entidades, que se estenderia do Canadá ao Brasil.

Uma competição nesses moldes seria, por exemplo, a oportunidade de os clubes brasileiros lucrarem ao ter jogos disputados, por exemplo, nos Estados Unidos, país de maior PIB no mundo.

Os clubes brasileiros se animaram, por exemplo, com a ideia, em 2015, da criação de uma Champions League das Américas, independente da Concacaf e Conmebol, que acabou fazendo água.

Se clubes reclamam, seleção só tem o que festejar

A nova divisão de vagas para a Copa do Mundo acentuou a discrepância do que acontece na América do Sul para o resto do mundo.

Se ratificado o novo sistema de cotas, será mais difícil ficar fora da Copa do que dentro para as seleções da Conmebol, uma das quais é a brasileira. A partir daí, qual será a vantagem de comemorar que a seleção brasileira jamais na história ficou de fora de um Mundial?

É uma questão de matemática: A Conmebol tem 10 membros, tinha 4,5 vagas e agora passa a ter 6. Ou seja, hoje, classificam-se 45% das seleções da América do Sul, mas a partir de 2026, ganharão vaga 60%.

Para colocar esses números em perspectiva, basta comparar com o que acontece na Uefa, a segunda entidade com mais números de vagas. Lá, há 55 membros que hoje disputam 13 vagas e a partir de 2026 haverá 16 vagas. Proporcionalmente, hoje se classificam 23,6% das equipes, e em 2026, serão 29%.

Lembrando que 2 vagas serão decididas num torneio de repescagem com uma seleção de cada confederação, à exceção da Europa. Ou seja, tirando a Uefa, 2 confederações poderão ter mais 1 vaga cada.

As demais confederações obtém menos vagas ainda:

A CAF reúne 57 seleções africanas, tinha 5 vagas e terá 9. Então, atualmente 8,7% de seus países se classificam; em 2026 serão mais de 15,7%.

Na Ásia, a AFC tem 47 membros. Tinha 4,5 vagas, e terá 8. Se hoje classifica 9,5% de suas equipes, em 2026 serão cerca de 17%.

A Concacaf tem 41 integrantes, tinha 3,5 vagas e terá 6. Pulará de 8,5% de equipes classificadas para 14,6%.

A OFC tem 11 membros da Oceania, tinha meia vaga e passa a ter 1.

 


Sem seleção, Globo exibirá apenas seis partidas da Copa das Confederações
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Sem a participação da seleção brasileira, que não se classificou para a edição deste ano da Copa das Confederações, a Globo transmitirá apenas seis partidas da competição, o blog apurou.

Na edição de 2013, que contou com a participação da seleção, a Globo exibiu nove jogos: Os cinco do time nacional, que chegou à decisão com a Espanha, e mais quatro jogos extra.

Mesmo sem a seleção, dirigentes da emissora consideram que além de servir para o brasileiro conhecer um pouco do cenário onde será disputada a próxima Copa do Mundo, há jogos de interesse amplo, que extrapolam o do telespectador fanático por futebol.

Um exemplo citado nesse espectro seria um eventual encontro entre Chile e Rússia, ou outros nos quais o telespectador pode ser um “olheiro”, observando adversários em potencial do Brasil.

A emissora também acredita que “aprendeu” muito durante a transmissão da Eurocopa como fazer uma transmissão que atraia a atenção do público, mesmo sem a participação de um time brasileiro.

No aspecto comercial, o acordo com a Fifa impõe os patrocinadoras da entidade que controla o futebol mundial nas vinhetas exibidas durante a competição.

Durante os intervalos, no mínimo já estão garantidos os comerciais avulsos de trinta segundos de patrocinadores que compram rotativos que são inseridos durante toda a programação do dia.

A Globo ainda não tem parceira na TV aberta para dividir a Copa das Confederações. Mas a emissora está em busca de uma.


F. Melo receberá de acordo com produtividade que mostrar no Palmeiras
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O meia Felipe Melo, 33, que está próximo de acordo com o Palmeiras para o Paulista e Libertadores, aceitou a inclusão de uma cláusula em seu futuro contrato que prevê que o ganho mensal do jogador dependa de sua produtividade, onde terá que atingir uma série de metas para ganhar mais.

Na negociação que está perto de ser fechada, o jogador recebeu a garantia de que receberá cerca de R$ 350 mil mensais fixos, mas dependendo de seus próprios esforços, esse valor pode aumentar, e muito, com a inclusão das luvas e bonificações complementares.

O contrato de produtividade oferece prêmios com base em metas atingidas pelo clube e jogadores. Entra no cálculo de quanto receberá as luvas recebidas para assinar, a regularidade de participação nas partidas disputadas e eventuais conquistas de títulos, por exemplo.

Facilitou o desfecho da negociação com o Palmeiras o fato de o jogador ter conseguido em sua saída da Inter de Milão o pagamento de uma remuneração, um colchão financeiro que garante ao meia a manutenção de seu padrão de vida, mesmo recebendo menos no clube do Parque Antarctica, segundo informou ao blog uma fonte ligada às negociações.

Durante as tratativas, dirigentes do Palmeiras ressaltaram a estrutura com a qual o clube conta, o ambiente e também os planos de o time disputar o Mundial de clubes no final do ano.

Além de ter participado da Copa do Mundo de 2010 pela seleção, o meia também passou pela Juventus, Galatasaray e Inter de Milão.

No fim do ano passado, o meia chegou a “namorar” com o Flamengo, mas as negociações não avançaram.

Além de Felipe Melo, o Palmeiras já havia anunciado as chegadas de Guerra, Raphael Veiga, Hyoran, Michel Bastos e Keno.


Técnico cai em pegadinha reciclada da Copa e teme ser agredido na rua
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O técnico do ABC, Geninho, foi vítima de uma “pegadinha” reciclada das Copas de 1998, 2002, 2006, 2010, 2014, e por conta da brincadeira, irritou-se e chegou a temer por sua integridade física e a de seus jogadores.

Um texto divulgado por WhattsApp (veja ao fim do texto), assinado por “Gunther Schweitzer”, identificado como diretor do canal Esporte Interativo, e que chegou até Geninho por meio de um amigo, afirmava que o técnico, cartolas do ABC e do Guarani, e até a CBF, armaram o resultado da partida na qual o time de Natal foi goleado por 6 a 0 pela Série C do Brasileiro.

No jogo de ida, pelas semifinais da competição, o “Mais Querido” havia goleado a equipe de Campinas por 4 a 0, e já contava que a equipe estaria na final. Porém, na partida de volta, o ABC foi goleado por 6 a 0, cedendo a vaga na decisão ao Guarani.

“Estou preocupado, daqui a pouco a população pode até agredir os jogadores”, dizia um exasperado Geninho, enquanto encaminhava o texto ao blog. “Se a TV [Esporte Interativo] não soltar uma nota para negar o que está dito lá, não vai ter jeito a não ser entrar com uma ação [na Justiça].”

O Esporte Interativo, obviamente, negou que algum funcionário tenha enviado tal mensagem e informou desconhecer o “Gunther Schweitzer”.

Na verdade, essa pegadinha não é nova. Já havia circulado pela internet durante várias Copas, e dava conta de que os Mundiais estavam “comprados”. Para “reciclar” a piada, substituiu-se o nome de uma seleção pelo do ABC, o de outra pelo Guarani, e a Fifa pela CBF. A “pegadinha” já foi adaptada até para se referir à premiação do Oscar e ao Nobel.

Ao ser informado pelo blog de que se tratava de uma piada, Geninho ficou (um pouco) mais calmo.

“Essa foi uma brincadeira de mau gosto em cima de gente séria”, desabafou, em meio a resmungos, o treinador. “Faço um trabalho sério, e essa brincadeira pode sujar o meu nome. Já estava magoado pelo resultado [do jogo de volta], e ainda fazem isso…”

O técnico, que já passou por Corinthians, Santos e Vasco, entre outros, não decidiu ainda se denunciará a “brincadeira” à delegacia de crimes cibernéticos.

Confira o texto adaptado da pegadinha da Copa de 98 que circulou no WhatsApp e chegou até Geninho:

“Talvez, isso explique a razão do jogador Jones Carioca ter dito: “Se as pessoas soubessem o que aconteceu no Brinco de Ouro ficariam enojadas!”.

Todos os potiguares ficaram chocados e desconfiados com o que ocorreu na partida entre Guarani x ABC em Campinas no dia 23/10. Não deveriam. O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos.

Fato comprovado:
O ABC vendeu o titulo para o Guarani. Os jogadores titulares foram avisados às 20:00 do dia 22 de Outubro de 2016 (dia anterior da partida), após uma reunião envolvendo o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, o presidente do ABC, Judas Tadeu, o presidente do Guarani e os técnicos Geninho e Marcelo Chamusca. Os jogadores reservas permaneceram em isolamento de informações, em seus quartos no hotel.

A princípio muito contrariados, os atletas se recusaram a jogar a partida no dia seguinte.
A aceitação veio através do pagamento total dos prêmios, US$7.000,00 para todos os os titulares e um bônus de US$40.000,00 para todos os demais membros da equipe, totalizando a soma de US$ 2.300.000,00 (dois milhões e trezentos mil dólares) através da Adidas. Além disso, os jogadores terão nos próximos 4 anos, as mesmas bases de prêmios de grandes atletas da marca como Messi, Daniel Alves e Luiz Suárez.

O Sr. Marco Polo Del Nero, presidente da CBF, aplaudiu a colaboração dos atletas, uma vez que o resultado confirmaria o poder dos times paulistas para diminuir as chances da liga rio-sul-minas acontecer. Combinou-se ainda que o ABC terá o caminho facilitado na Copa do Nordeste.

Por gentileza passem esta mensagem para o maior número possível de pessoas, para que todos possam conhecer a sujeira que ronda o mundo do futebol.

Desde, já agradeço, Um abraço.
Gunther Schweitzer – Executivo do canal Esporte Interativo”


Marcelo Teixeira se coloca como pré-candidato à CBF e já ‘fala’ como tal
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Marcelo Teixeira afirma a interlocutores que é candidato à presidência da CBF caso sejam convocadas eleições para a presidência da confederação. A principal condição para colocar sua candidatura em campo seria a saída do posto de Marco Polo Del Nero, de quem o ex-presidente santista é amigo. O atual presidente da CBF foi indiciado nos EUA por corrupção e é investigado pelo comitê de ética da Fifa.

Segundo Teixeira confidenciou a pessoas próximas, ele conta com o apoio de cartolas influentes de São Paulo, Corinthians e G4, que o procuraram.

Segundo o regulamento da CBF, sob condições normais, quem assume a cadeira caso Del Nero renuncie será Delfim de Pádua Peixoto, 74, presidente da Federação Catarinense de Futebol, por ser o vice mais idoso.

Mensagem postada no Facebook por Marcelo Teixeira, que já transitou na Fifa na época em que fez parte da comissão do Mundial, após a perda do título da Copa do Brasil pelo Santos ontem, indica que ele já tem em mente questões que afligem o futebol nacional e que extrapolam os muros da Vila Belmiro.

“Fomos prestigiar o clássico… Fomos surpreendidos por emboscadas de torcedores adversários que perigosamente atiravam pedras, bombas e rojões, mesmo com a intervenção militar… Não podemos mais admitir em um país que sediou a Copa, no ano que vem Olimpíada, ainda verificar cenas lamentáveis como essas, que denigrem a imagem do futebol e não condizem com a finalidade do esporte”.

“A Copa do Brasil é uma competição interestadual, beneficiando clubes sem tanta expressão no cenário esportivo, prestigiando os habitantes de cidades de todo o país que tenham a oportunidade de assistir partidas com grandes clubes e atletas de renome, considero uma das melhores do calendário por atender a população de todos os níveis, por isso, a CBF deveria também sortear cidades com grandes arenas para as partidas finais da competição, evitando esses problemas, como acontece na UEFA”.

Em sua nota, Teixeira lamenta ainda a perda do título porque “o futebol brasileiro não terá um representante na Libertadores de 2016 com atletas de maior talento e categoria, que jogam um futebol mais elegante e bonito!”

 


Febre na Copa-14, copos colecionáveis podem retornar na Olimpíada do Rio-16
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Patrocinadora da Copa-2014 e da Olimpíada-2016, a Coca-Cola estuda lançar nos Jogos do Rio os copos personalizados que se tornaram febre durante o Mundial de futebol e que, em alguns casos, superaram o preço de R$ 100 em sites de compra e venda online. Os copos traziam marcado o jogo e a arena onde foram adquiridos e a edição foi limitada. Foram produzidos a quantidade exata de ingressos disponibilizados para os jogos da Copa-2014.

“Estamos estudando essa possibilidade, sabemos que os copos se tornaram um tipo de memorabilia”, revelou Flavio Camelier, vice-presidente da Coca-Cola para o Rio-2016. “O problema é que a disponibilização desse tipo de produto envolve um grande desafio de logística. Estamos verificando se será possível ou não [lançar os copos olímpicos].”

Copo da Copa, que se tornou item colecionável

Copo da Copa, que se tornou item colecionável

Durante a Copa, era comum ver pessoas deixarem os estandes de refrigerante com pilhas de copos, que algumas vezes chegavam a vinte. Nesses casos, as pessoas chegavam a pagar pelo refrigerante, não tomavam, e levavam os copos. Não era raro os copos colecionáveis esgotarem antes do final do primeiro tempo das partidas. Quem ia ao estádio fazia questão de levar os copos para distribuir a quem não tivera sucesso no sorteio dos ingressos.

Também era possível ver pessoas revirando o lixo nas arenas em busca de copos. Seu interesse não era colecionar, mas vendê-los a quem não teve a oportunidade de assistir os jogos “in loco”.

“Copa é Copa e Olimpíada é Olimpíada. Se na Copa os jogos aconteciam em vários estados, a Olimpíada traz o desafio único de serem muitos eventos simultâneos. Às vezes são três sessões de competições no mesmo dia”, compara Camelier. “Na Copa, a gente começa a organizar nossas ações nos estádios com três dias de antecedência, na Olimpíada não vai ter aquele ‘respiro’ que acontecia entre as partidas de futebol. Então temos que estudar com muito cuidado a viabilidade desse tipo de ação.”

Segundo Camelier, se a ideia de relançar os copos for inviabilizada, outra ações que podem produzir itens colecionáveis estão sendo consideradas pela fabricante de refrigerantes. Em um esquema similar de edição limitada.

Desportistas do Time Coca-Cola posam

Desportistas do Time Coca-Cola posam  para foto Inovafoto/Coca-Cola

Outro foco da fabricante de refrigerantes é o lançamento do Time Coca-Cola, formado pelo jogador de basquete Anderson Varejão, a campeã olímpica de volei Fabiana Claudino, o nadador Leonardo de Deus, o campeão olímpico de vôlei Nalbert, e os atletas paralímpicos Fernando Fernandes, da canoagem, e Verônica Hipólito, do atletismo.

O grupo vai auxiliar a companhia em todos os seus projetos ligados aos Jogos Olímpicos, como no incentivo à prática de atividades físicas. Além disso, eles também irão participar do revezamento da tocha olímpica ano que vem.


Brasileirinhas lançará 1º filme pornô olímpico, após bombar em Copa-14
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Após emplacar, com inesperado sucesso, cinco filmes com o tema Copa do Mundo no ano passado, a produtora Brasileirinhas lança ano que vem o primeiro pornô brasileiro com temática olímpica.

Assim como foi na Copa, quer aproveitar a realização no país dos Jogos do Rio, outro grande evento esportivo que mexe com o imaginário popular.

Um dos 5 títulos adultos lançados ano passado inspirado na Copa do Mundo (divulgação)

Um dos 5 títulos adultos lançados ano passado inspirado na Copa do Mundo (divulgação)

Como as imagens, dos anéis olímpicos, a palavras “Olimpíada”, e o termo “Rio-2016” são propriedade do COI (Comitê Olímpico Internacional), o filme se chamará “oIo píada do Sexo”, trocadilho gráfico com o nome da competição.

“Não dá para usar o termo olimpíada, porque o pessoal do COI fica de olho nos direitos. Vamos deixar bem claro que se trata de uma paródia para evitarmos problemas [legais]”, explica Clayton Nunes, proprietário da Brasileirinhas. “O pessoal da Fifa, nesse sentido, quando fizemos nossos filmes da Copa, foi bem tranquilo.”

A denominação das “competições” que o elenco do filme disputará serão trocadilhos com provas reais ou versões eróticas, como a cerimônia de acendimento da tocha, salto com vara, 100 m com barreiras, luta no gel, arco e flecha e esgrima.

“Esse tipo de filme divulga mais as atrizes, que é o que elas procuram”, justifica Nunes.

A produtora descobriu ano passado que lançar filmes ligados a um grande evento esportivo organizado no Brasil tem o potencial para ser um grande sucesso.

Outro dos 5 filmes lançados ano passado com o tema Copa do Mundo (divulgação)

Outro dos 5 filmes lançados ano passado com o tema Copa do Mundo (divulgação)

“Fomos pegos de surpresa com o interesse gerado pela Copa do Mundo no Brasil [em 2014]. Tivemos que cancelar, de última hora, a produção de alguns filmes para lançar às pressas mais produções que tinham como pano de fundo a Copa. As pessoas ligavam, entravam em contato pedindo por isso. Acabamos produzindo cinco deles no ano passado. Acho que foi porque foi a primeira Copa no Brasil em muitos anos”, argumenta Clayton Nunes, proprietário da Brasileirinhas.

Por conta da escassez de tempo, um deles foi uma antologia, com a maioria das cenas reaproveitadas de produções anteriores também ligadas ao mundo do futebol.

Apesar de apostar nos Jogos, a produtora não acredita que a paródia olímpica repetirá o mesmo sucesso do Mundial de futebol.
“De Olimpíada deve ser um filme mesmo. Copa do Mundo tem outra pegada, né? Além disso, acho que estamos passando pela ‘ressaca da Copa’”, afirma Nunes, que ao mesmo tempo não descarta a possibilidade de uma série de filmes adultos que façam alusão à realização dos Jogos Olímpicos no Brasil.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>