Blog do Ohata

Arquivo : Copa do Mundo

Band chega a acordo com Globo e transmitirá parte da Copa do Mundo de 2018
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A Band chegou a um acordo de sublicenciamento com a Globo e transmitirá parte das partidas da Copa do Mundo da Rússia na TV aberta. O contrato ainda não foi assinado, o que deverá acontecer em breve, o blog apurou com uma fonte próxima à negociação. A informação do acordo foi dada pelo colunista do UOL Flávio Ricco e confirmada pelo blog.

As conversas entre a Globo, detentora dos direitos da Copa de 2018, e sua parceira de anos se arrastaram pelas últimas semanas. As discussões giraram em torno do sublicenciamento de um pacote de jogos, e não o Mundial em sua totalidade.

A lógica dentro da Globo é de que a exclusividade é um fator muito importante, não apenas comercialmente. Então há, internamente, uma relutância em abrir mão dela totalmente se não fizer sentido financeiramente.

Apesar de a Band não exibir as últimas edições do Brasileiro e o Paulista deste ano, por dificuldades financeiras, a emissora transmitiu competições cujos direitos de TV foram repassados pela Globo. As mais relevantes foram a Champions e a Copa das Confederações.

O repasse para a Band, no caso da Copa das Confederações, ajudou a Globo a cumprir uma exigência da Fifa para que pelo menos seis jogos da competição fossem exibidos por uma TV aberta no Brasil.

Não se trata do caso da Copa, já que a Globo exibirá quase todas as partidas do Mundial na TV aberta. A exceção fica por conta dos jogos que “encavalam” ao fim da primeira fase.

A Globo também sublicenciou os direitos do Mundial da Rússia ao Fox Sports, na TV por assinatura.


CBF é criticada por ‘falta de diálogo’ com jogadores, que pedem mudanças
Comentários Comente

Eduardo Ohata

À CBF foi encaminhada uma proposta de alterações no calendário do futebol brasileiro de 2018 pela Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol. A entidade se queixa que a programação de jogos é feita sem uma consulta prévia a atletas e treinadores.

“Nossa relação com a CBF sempre foi de respeito mútuo, mas é injusto que o calendário do futebol brasileiro não seja discutido com os protagonistas do espetáculo. Ignorar a palavra do atleta não parece ser a melhor estratégia”, avalia o presidente da Fenapaf, Felipe Augusto Leite.

Há poucos meses, a Fenapaf organizou um protesto, que contou com a adesão de jogadores das Séries A e B, contra a precarização da profissão de jogador de futebol, além de ter negociado com a CBF o respeito de um período de 68 horas entre jogos para descanso. A entidade ganha força à medida que conta com um clube de capitães, cujos membros tem se engajado em seus assuntos.

Uma das reivindicações é a alteração no calendário para permitir uma inter pré-temporada no período da Copa do Mundo. Sobre a pré-temporada propriamente dita, a entidade pediu a obrigatoriedade da mesma, após as férias coletivas de 30 dias.

A entidade também pede que se condicione a inscrição de atletas no BID (Boletim Informativo Diário da CBF) à exigência da assinatura da carteira de trabalho e previdência social.

Outras demandas se referem à forma de disputa das séries C e D do Brasileiro, com a igualdade na forma de disputa da Série C à divisão principal e à Série B, e modificação no regulamento da Série D para que seja evitada a exclusão de 60% dos clubes já no mês de junho e consequentemente incremento de desemprego entre os jogadores de futebol.

“O modelo das divisões de acesso não favorecem a profissionalização do futebol brasileiro. Hoje, início de junho, 80% dos clubes brasileiros estão parados. Isso contribui para o amadorismo do nosso futebol e para a demissão em massa dos nossos atletas, gerando cada vez mais demandas judiciais”, argumenta Leite.

Em tempos de mudança na estrutura do esporte nacional, Leite acredita que soluções poderiam surgir a partir da organização de um grande debate entre governo federal, CBF, Fenapaf, Federação Brasileira dos Treinadores de Futebol, entre outros.

 

 

 

 


Globo procura parceiro para a Copa e deve ficar sozinha no Paulista-2018
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A Globo desistiu de buscar no mercado um parceiro na TV aberta para dividir a transmissão do Paulista de 2018, o blog apurou. Por conta da crise financeira que o país atravessa, é forte a tendência de a emissora exibir sozinha a edição do ano que vem do Estadual.

Na temporada passada, a emissora procurou até o último momento outro canal na TV aberta com quem dividir custos de direitos e produção. Além da Band, sua parceira de longa data, também ofereceu os direitos de transmissão a outras emissoras de TV aberta.

A Band este ano exibiu partidas da Champions e Copa das Confederações, ambas competições sublicenciadas da emissora carioca. No caso da competição de seleções, o acordo foi mutuamente benéfico, pois o contrato previa uma quantidade mínima de partidas a ser exibidas na TV aberta que não poderiam ser acomodadas na grade pela Globo.

Na Globo, o raciocínio é o de que o Paulista não deixa de ser uma propriedade valiosa. Para abrir mão da exclusividade, só se o valor oferecido por outra TV realmente valer a pena.

Globo e Band ainda negociam os direitos da Copa do Mundo, pois haveria tempo hábil para a emissora paulista levar ao mercado publicitário um plano comercial. A Globo sinalizou que está aberta a falar com outros parceiros em potencial sobre propriedades relacionadas à Copa.

Na TV por assinatura, a Globo fechou direitos da Copa do Mundo com o Fox Sports.


Globo já definiu como será a transmissão na TV aberta da Copa do Mundo
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Globo já definiu, em linhas gerais, como será a transmissão da próxima Copa do Mundo, que acontece na Rússia, no ano que vem.

Todos os 64 jogos da Copa serão transmitidos na TV aberta, apesar de algumas partidas encavalarem no fim da primeira fase. Assim, a Globo transmitirá ao vivo 56 partidas e planeja exibir os oito jogos restantes em videoteipe, em horários alternativos.

Mesmo com a crise financeira, que dificulta a celebração de parcerias com outras emissoras, as transmissões de todos os jogos do Mundial serão feitas com as equipes de narradores, comentaristas e repórteres “in loco”.

Porém, como foi o caso na Copa das Confederações, que serviu de “laboratório” para o Mundial, parte das operações de engenharia acontecerão a partir do Brasil, graças ao acesso remoto. Outra medida para cortar custos será a otimização de recursos, com equipe formada por profissionais da Globo e Globosat. O Grupo Globo estuda o número de profissionais que serão enviados à Rússia.

Uma diferença fundamental em relação à cobertura da Copa de 2014 será o período mais enxuto de cobertura do Mundial da Rússia. No caso da Copa no Brasil a cobertura passou a ser intensa desde maio de 2013 até agosto de 2014, mas porque foi realizada aqui.

Tampouco é cogitada a criação de novos canais, como aconteceu durante a Olimpíada do Rio, quando as competições foram distribuídas em 56 canais de vídeo e internet.

A Globo ainda negocia acordo de transmissão na TV aberta com a Band, sua parceira de longa data. Na fechada, já sublicenciou os direitos à Fox Sports e negocia os highlights com a ESPN.


Globo oficializa acordo por Copa-18 com Fox Sports e ainda negocia com Band
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A Fox Sports assinou contrato com a Globo para a transmissão da Copa do Mundo da Rússia no ano que vem.

A Globo negocia com a Band, na TV aberta, mas as tratativas esbarram em questões financeiras. A ESPN já definiu que não irá adquirir os direitos de transmissão, e a Globo pelo menos até o momento não trata do assunto com o Esporte Interativo.

A Fox Sports adquiriu os direitos de transmissão dos 64 jogos disputados entre 14 de junho e 15 de julho do ano que vem, e exibirá todas as partidas. O acerto entre as emissoras já estava apalavrado.

Segundo o canal, ao longo de 32 dias, os canais Fox Sports e Fox Sports 2 terão mais de 760 horas de transmissão, com exibição ao vivo de todos os jogos da Copa e ampla cobertura nas onze cidades-sede.

“Estamos felizes por poder transmitir pela segunda vez consecutiva um evento de característica única e tão importante como esse”, disse Carlos Martinez, presidente da Fox Networks Group Latin America.

“O Fox Sports já mostrou que é capaz de cobrir de forma impecável a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em 2016”, afirmou Eduardo Zebini, v ice da Fox Sports Brasil.


Fox Sports fecha Copa do Mundo da Rússia com Globo e exibirá as 64 partidas
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A Globo fechou contrato de sublicenciamento dos direitos de TV da Copa do Mundo de 2018 com a Fox Sports, que planeja transmitir todos os 64 jogos da Copa da Rússia, no ano que vem.

No momento, o grupo Globo conversa ainda com Band, na TV aberta, e ESPN, na fechada.

Graças ao canal Fox Sports 2, a Fox Sports conseguirá exibir todas as partidas na TV fechada, já que o acordo não cobre os direitos de internet da competição que acontece no ano que vem.

Já houve uma visita de representantes da Fox Sports à Rússia para verificar questões técnicas e de logística.

A Fox Sports do Brasil é a única da América Latina que conseguiu garantir a exibição dos jogos da Copa até agora, já que o canal não obteve os direitos em países de forte tradição no futebol, como Argentina e Colômbia.

Além de transmitir as partidas na TV aberta, a Globo também exibirá partidas da Copa nos canais Sportv.

 


Divisão de cotas da Copa do Mundo: Boa para a seleção, ruim para os clubes
Comentários Comente

Eduardo Ohata

A nova distribuição de vagas para a Copa de 2026 deve ser ainda mais positiva para a seleção brasileira, porém deve prejudicar uma velha tentativa dos clubes do país. Se o selecionado nacional vê diminuir as chances de ficar fora de Mundiais, os times brasileiros ficam mais distantes da possibilidade de colocar em prática a ideia de um campeonato que junte equipes filiadas a Conmebol e a Concacaf.

Uma das possibilidades que foi ventilada quando a Fifa aumentou o número de vagas era uma unificação das Américas para escolher os classificados para o Mundial.

Com isso, o que se esperava era uma união entre Conmebol e Concacaf que poderia se estender aos clubes. Sem esse cenário, se dificulta a organização de um torneio verdadeiramente continental, com a chancela das entidades, que se estenderia do Canadá ao Brasil.

Uma competição nesses moldes seria, por exemplo, a oportunidade de os clubes brasileiros lucrarem ao ter jogos disputados, por exemplo, nos Estados Unidos, país de maior PIB no mundo.

Os clubes brasileiros se animaram, por exemplo, com a ideia, em 2015, da criação de uma Champions League das Américas, independente da Concacaf e Conmebol, que acabou fazendo água.

Se clubes reclamam, seleção só tem o que festejar

A nova divisão de vagas para a Copa do Mundo acentuou a discrepância do que acontece na América do Sul para o resto do mundo.

Se ratificado o novo sistema de cotas, será mais difícil ficar fora da Copa do que dentro para as seleções da Conmebol, uma das quais é a brasileira. A partir daí, qual será a vantagem de comemorar que a seleção brasileira jamais na história ficou de fora de um Mundial?

É uma questão de matemática: A Conmebol tem 10 membros, tinha 4,5 vagas e agora passa a ter 6. Ou seja, hoje, classificam-se 45% das seleções da América do Sul, mas a partir de 2026, ganharão vaga 60%.

Para colocar esses números em perspectiva, basta comparar com o que acontece na Uefa, a segunda entidade com mais números de vagas. Lá, há 55 membros que hoje disputam 13 vagas e a partir de 2026 haverá 16 vagas. Proporcionalmente, hoje se classificam 23,6% das equipes, e em 2026, serão 29%.

Lembrando que 2 vagas serão decididas num torneio de repescagem com uma seleção de cada confederação, à exceção da Europa. Ou seja, tirando a Uefa, 2 confederações poderão ter mais 1 vaga cada.

As demais confederações obtém menos vagas ainda:

A CAF reúne 57 seleções africanas, tinha 5 vagas e terá 9. Então, atualmente 8,7% de seus países se classificam; em 2026 serão mais de 15,7%.

Na Ásia, a AFC tem 47 membros. Tinha 4,5 vagas, e terá 8. Se hoje classifica 9,5% de suas equipes, em 2026 serão cerca de 17%.

A Concacaf tem 41 integrantes, tinha 3,5 vagas e terá 6. Pulará de 8,5% de equipes classificadas para 14,6%.

A OFC tem 11 membros da Oceania, tinha meia vaga e passa a ter 1.

 


Sem seleção, Globo exibirá apenas seis partidas da Copa das Confederações
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Sem a participação da seleção brasileira, que não se classificou para a edição deste ano da Copa das Confederações, a Globo transmitirá apenas seis partidas da competição, o blog apurou.

Na edição de 2013, que contou com a participação da seleção, a Globo exibiu nove jogos: Os cinco do time nacional, que chegou à decisão com a Espanha, e mais quatro jogos extra.

Mesmo sem a seleção, dirigentes da emissora consideram que além de servir para o brasileiro conhecer um pouco do cenário onde será disputada a próxima Copa do Mundo, há jogos de interesse amplo, que extrapolam o do telespectador fanático por futebol.

Um exemplo citado nesse espectro seria um eventual encontro entre Chile e Rússia, ou outros nos quais o telespectador pode ser um “olheiro”, observando adversários em potencial do Brasil.

A emissora também acredita que “aprendeu” muito durante a transmissão da Eurocopa como fazer uma transmissão que atraia a atenção do público, mesmo sem a participação de um time brasileiro.

No aspecto comercial, o acordo com a Fifa impõe os patrocinadoras da entidade que controla o futebol mundial nas vinhetas exibidas durante a competição.

Durante os intervalos, no mínimo já estão garantidos os comerciais avulsos de trinta segundos de patrocinadores que compram rotativos que são inseridos durante toda a programação do dia.

A Globo ainda não tem parceira na TV aberta para dividir a Copa das Confederações. Mas a emissora está em busca de uma.


F. Melo receberá de acordo com produtividade que mostrar no Palmeiras
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O meia Felipe Melo, 33, que está próximo de acordo com o Palmeiras para o Paulista e Libertadores, aceitou a inclusão de uma cláusula em seu futuro contrato que prevê que o ganho mensal do jogador dependa de sua produtividade, onde terá que atingir uma série de metas para ganhar mais.

Na negociação que está perto de ser fechada, o jogador recebeu a garantia de que receberá cerca de R$ 350 mil mensais fixos, mas dependendo de seus próprios esforços, esse valor pode aumentar, e muito, com a inclusão das luvas e bonificações complementares.

O contrato de produtividade oferece prêmios com base em metas atingidas pelo clube e jogadores. Entra no cálculo de quanto receberá as luvas recebidas para assinar, a regularidade de participação nas partidas disputadas e eventuais conquistas de títulos, por exemplo.

Facilitou o desfecho da negociação com o Palmeiras o fato de o jogador ter conseguido em sua saída da Inter de Milão o pagamento de uma remuneração, um colchão financeiro que garante ao meia a manutenção de seu padrão de vida, mesmo recebendo menos no clube do Parque Antarctica, segundo informou ao blog uma fonte ligada às negociações.

Durante as tratativas, dirigentes do Palmeiras ressaltaram a estrutura com a qual o clube conta, o ambiente e também os planos de o time disputar o Mundial de clubes no final do ano.

Além de ter participado da Copa do Mundo de 2010 pela seleção, o meia também passou pela Juventus, Galatasaray e Inter de Milão.

No fim do ano passado, o meia chegou a “namorar” com o Flamengo, mas as negociações não avançaram.

Além de Felipe Melo, o Palmeiras já havia anunciado as chegadas de Guerra, Raphael Veiga, Hyoran, Michel Bastos e Keno.


Técnico cai em pegadinha reciclada da Copa e teme ser agredido na rua
Comentários Comente

Eduardo Ohata

O técnico do ABC, Geninho, foi vítima de uma “pegadinha” reciclada das Copas de 1998, 2002, 2006, 2010, 2014, e por conta da brincadeira, irritou-se e chegou a temer por sua integridade física e a de seus jogadores.

Um texto divulgado por WhattsApp (veja ao fim do texto), assinado por “Gunther Schweitzer”, identificado como diretor do canal Esporte Interativo, e que chegou até Geninho por meio de um amigo, afirmava que o técnico, cartolas do ABC e do Guarani, e até a CBF, armaram o resultado da partida na qual o time de Natal foi goleado por 6 a 0 pela Série C do Brasileiro.

No jogo de ida, pelas semifinais da competição, o “Mais Querido” havia goleado a equipe de Campinas por 4 a 0, e já contava que a equipe estaria na final. Porém, na partida de volta, o ABC foi goleado por 6 a 0, cedendo a vaga na decisão ao Guarani.

“Estou preocupado, daqui a pouco a população pode até agredir os jogadores”, dizia um exasperado Geninho, enquanto encaminhava o texto ao blog. “Se a TV [Esporte Interativo] não soltar uma nota para negar o que está dito lá, não vai ter jeito a não ser entrar com uma ação [na Justiça].”

O Esporte Interativo, obviamente, negou que algum funcionário tenha enviado tal mensagem e informou desconhecer o “Gunther Schweitzer”.

Na verdade, essa pegadinha não é nova. Já havia circulado pela internet durante várias Copas, e dava conta de que os Mundiais estavam “comprados”. Para “reciclar” a piada, substituiu-se o nome de uma seleção pelo do ABC, o de outra pelo Guarani, e a Fifa pela CBF. A “pegadinha” já foi adaptada até para se referir à premiação do Oscar e ao Nobel.

Ao ser informado pelo blog de que se tratava de uma piada, Geninho ficou (um pouco) mais calmo.

“Essa foi uma brincadeira de mau gosto em cima de gente séria”, desabafou, em meio a resmungos, o treinador. “Faço um trabalho sério, e essa brincadeira pode sujar o meu nome. Já estava magoado pelo resultado [do jogo de volta], e ainda fazem isso…”

O técnico, que já passou por Corinthians, Santos e Vasco, entre outros, não decidiu ainda se denunciará a “brincadeira” à delegacia de crimes cibernéticos.

Confira o texto adaptado da pegadinha da Copa de 98 que circulou no WhatsApp e chegou até Geninho:

“Talvez, isso explique a razão do jogador Jones Carioca ter dito: “Se as pessoas soubessem o que aconteceu no Brinco de Ouro ficariam enojadas!”.

Todos os potiguares ficaram chocados e desconfiados com o que ocorreu na partida entre Guarani x ABC em Campinas no dia 23/10. Não deveriam. O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos.

Fato comprovado:
O ABC vendeu o titulo para o Guarani. Os jogadores titulares foram avisados às 20:00 do dia 22 de Outubro de 2016 (dia anterior da partida), após uma reunião envolvendo o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, o presidente do ABC, Judas Tadeu, o presidente do Guarani e os técnicos Geninho e Marcelo Chamusca. Os jogadores reservas permaneceram em isolamento de informações, em seus quartos no hotel.

A princípio muito contrariados, os atletas se recusaram a jogar a partida no dia seguinte.
A aceitação veio através do pagamento total dos prêmios, US$7.000,00 para todos os os titulares e um bônus de US$40.000,00 para todos os demais membros da equipe, totalizando a soma de US$ 2.300.000,00 (dois milhões e trezentos mil dólares) através da Adidas. Além disso, os jogadores terão nos próximos 4 anos, as mesmas bases de prêmios de grandes atletas da marca como Messi, Daniel Alves e Luiz Suárez.

O Sr. Marco Polo Del Nero, presidente da CBF, aplaudiu a colaboração dos atletas, uma vez que o resultado confirmaria o poder dos times paulistas para diminuir as chances da liga rio-sul-minas acontecer. Combinou-se ainda que o ABC terá o caminho facilitado na Copa do Nordeste.

Por gentileza passem esta mensagem para o maior número possível de pessoas, para que todos possam conhecer a sujeira que ronda o mundo do futebol.

Desde, já agradeço, Um abraço.
Gunther Schweitzer – Executivo do canal Esporte Interativo”