Blog do Ohata

Arquivo : WWE

Chael Sonnen sai em defesa de Ronda Rousey e dá dica para ciúmes de colegas
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Ronda é apresentada pelo WWE (Divulgação/WWE)

O falastrão Chael Sonnen, que protagonizou no UFC rivalidade com Anderson Silva, saiu em defesa de Ronda Rousey em relação ao ciúmes que vem enfrentando das novas colegas na empresa de telecatch WWE. Ele ofereceu dicas sobre como superar essa situação.

“Ronda tem enfrentado todo tipo de problemas vindos do vestiário da WWE. Ela é grandinha, consegue lidar com isso, e vai lidar, mas não precisava ser assim”, comentou Sonnen, sobre as demonstrações públicas de ciúmes, que vêm aumentando no decorrer das semanas. “Mas é algo que acontece quando alguém de fora da indústria chega e de repente recebe muita atenção.”

Toda a atenção que a chegada de Ronda à WWE, durante o evento anual Royal Rumble, recebeu foi criticada por colegas de empresa, como Nikki Bella, Nia Jax, a campeã Charlotte Flair, e de veteranos do telecatch. Eles reclamaram que o foco está todo dirigido a Ronda, enquanto feitos históricos da divisão feminina da WWE têm sido ignorados. O fato de o dono da WWE, Vince McMahon, ter desejado feliz aniversário a Ronda via mídias sociais e o site da empresa de telecatch ter destacado foto de Ronda tampouco caiu bem.

“Uma coisa legal que uma pessoa de fora entrando nesse novo negócio poderia fazer para ganhar a simpatia das colegas é perder para outra colega, ajudando a elevar o status dessa colega”, aconselhou Sonnen, especialista em relações-públicas (contém ironia).

“O que os donos da WWE deveriam fazer é ir no vestiário e explicar para Charlotte e o resto das garotas… que não deveriam fazer isso, porque eu sou o chefe, eu assino os cheques, e vocês fazem o que eu mando. É simples assim”, conclui Sonnen, que ganhou notoriedade não apenas por quase derrotar o Spider na primeira vez que lutaram, mas também por falar muito mal do Brasil.


Opinião: Ronda Rousey será campeã de firma de telecatch que a contratou
Comentários Comente

Eduardo Ohata

Vamos deixar uma coisa clara logo para começo de conversa: As lutas de telecatch, inclusive da WWE, principal promotora do ocidente e com quem a ex-estrela do UFC Ronda Rousey assinou um contrato, são coreografadas e os resultados, combinados. A ação dentro e fora do ringue segue uma trama detalhada (literalmente) em script.

Mas a WWE tem um histórico de colocar em posições de destaque os ex-lutadores do UFC que já teve sob contrato. A partir da década de 90, a empresa passou a investir em enredos mais realistas (para o telecatch), mirando um público com poder aquisitivo, ao invés de pôr no ringue palhaços (literalmente), cobradores de impostos, índios, lixeiros etc, personagens dirigidos a um público infantil.

Ken Shamrock, que perdeu para Royce Gracie na edição inaugural do UFC, conquistou sob o apelido de “O Homem Mais Perigoso do Mundo” o título intercontinental, à época segundo cinturão em ordem de importância da promoção.

Dan Severn, campeão do UFC 5, reviveu na WWF a rivalidade com Ken Shamrock, para quem perdeu no UFC 6 e a quem derrotou no UFC 9. Em um episódio, subiu ao ringue de terno, gravata e sapatos, para confrontar um lutador e torturá-lo ao aplicar uma chave.

Brock Lesnar foi campeão da WWE antes de conquistar o cinturão dos pesados do UFC, e posteriormente retornou à WWE, onde é o atual campeão universal.

No caso de Ronda, há razões adicionais para acreditar que no futuro ela disputará a conquistará um cinturão feminino da promoção: a WWE tem investido em consolidar uma robusta divisão feminina, dado maior ênfase das mulheres na programação, permitindo inclusive que façam a luta principal do principal programa semanal da franquia, e a reação empolgada do público à entrada de Ronda na arena na Filadélfia no último domingo. Ajudou a “ganhar” o público Ronda ter entrado com uma camisa que trazia o apelido de um dos maiores ídolos do telecatch, “Rowdy” Roddy Piper (para quem ela pediu permissão para emprestar o apelido para usar no UFC).

Os programas semanais da WWE são um tipo de novela na qual a resolução das questões são quase sempre resolvidos no ringue. É aí que mora o calcanhar de Aquiles de Ronda, já que apesar de ela ter experiência como atriz (“Os Mercenários 3”, “Velozes e Furiosos 7” etc), a ex-campeã do UFC não chega nem perto de um Conor McGregor ou um Chael Sonnen no trash talking (provocações).

Mas há soluções para isso. No caso de Shamrock foi criar um personagem meio louco, que falava pouco e entrava meio que em transe. No caso de Lesnar, arrumaram para ele um manager, que é seu porta-voz e fala, lança desafios e provoca os futuros rivais por ele.

No Brasil, os programas semanais da WWE (mas não os especiais vendidos nos EUA em pay-per-view) são exibidos pelo canal Fox Sports 2.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>