Blog do Ohata

Blog do Ohata: Obrigado a todos! Até a próxima!
Comentários 32

Eduardo Ohata

Este é o último post do ''Blog do Ohata''.

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer, sem citar nomes, porque sempre há o risco de esquecer alguém no momento em que se escreve, aqueles que me abriram as portas do UOL, me acolheram, apoiaram e trabalharam a quatro e, em algumas raras e divertidas oportunidades, até a seis mãos.

Nesse período, tive a oportunidade de fazer amizades, aprofundar o contato com profissionais com quem já havia convivido no dia-a-dia da reportagem, mas sempre em casas diferentes, e conhecer seus métodos de trabalho. Houve algumas surpresas bastante gratificantes.

Foi, sem dúvida alguma, um período de grande aprendizado, até pela necessidade da reinvenção, passando de jornalista que havia dedicado décadas exclusivamente (ou quase) ao papel, a blogueiro de um dos maiores e mais influentes portais do país.

Tenho o orgulho de, por meio do ''Blog do Ohata'', ter levado aos internautas furos como: ''Esporte Interativo conversa com clubes sobre Brasileirão'', ''Aquisição bilionária nos EUA respinga em rival da Globo por Brasileiro'', ''CBF perde 6º patrocinador e Brasileiro fica 'sem nome''', ''Presidente da Crefisa planeja se candidatar ao conselho do Palmeiras'', ''Santos fecha direitos de TV aberta e PPV com Globo'', ''Por 10%, CBF negociará publicidade estática de campo em nome de clubes'', ''Por Copa Rio-51, palmeirenses encaminham dossiê com 5 documentos à Conmebol'', ''Pacote de TV da Libertadores vetará Globo e Fox de repassar jogos a parceiros'', ''Raí assumirá como diretor de futebol do São Paulo'', ''No Brasil, Fox Sports é comprado por Grupo Disney, proprietário da ESPN'', ''Kaká afirma a amigos que encerra carreira como jogador, e já faz planos'', ''Andres Sanchez descarta se candidatar à reeleição a deputado federal'', ''Santos é notificado por dívida superior a R$ 700 mil com Gustavo Oliveira'', ''Atletas reclamam de medalhas da Rio-16 descascadas; comitê oferece recall'', '''Não renovarei patrocínio da Crefisa com inimigos', dispara Leila'', entre dezenas de outros, além de informações exclusivas de bastidores e histórias saborosas.

Por último, mas não menos importante, agradeço especialmente aos amigos leitores que tanto prestigiaram esse espaço nesses pouco mais de três anos.

Até a próxima!

 


Rede TV! cumpre condição, fecha acordo e exibirá Inglês na TV aberta
Comentários 5

Eduardo Ohata

A Rede TV! acaba de acertar um acordo de sublicenciamento com a ESPN, e exibirá partidas da Premier League com exclusividade na TV aberta. A Rede TV! conseguiu cumprir a cláusula contratual que exigia a apresentação de pelo menos uma cota de patrocínio, o blog apurou. Há mais cotas com negociação em andamento.

As transmissões no início das tardes de sábado têm início já nesse final de semana, ao vivo, a partir das 13h30, com a partida entre Wolverhampton e Everton, direto do Molineux Stadium.

Na tela da Rede TV!, as partidas terão narração de Marcelo do Ó e Silvio Luiz, e comentários de Juarez Soares e Luiz Ceará.

''Estamos oferecendo ao nosso público em rede nacional o Inglês, considerado o mais importante do mundo'', festeja Franz Vacek, superintendente de Jornalismo, Esportes e Digital da emissora.

''O acordo com a Rede TV! garantirá ainda mais visibilidade para um dos mais fortes campeonatos do mundo'', explica German Hartenstein, diretor geral da ESPN no Brasil. ''A ESPN seguirá exibindo com exclusividade na TV paga todas as partidas da Premier League, tendo agora a Rede TV! como importante aliada na transmissão e cobertura do futebol inglês.''

Jogadores que vestiram a camisa da seleção na Copa da Rússia estarão em campo no Inglês, entre eles Gabriel Jesus, Fernandinho e Ederson (Manchester City), Willian (Chelsea), Roberto Firmino (Liverpool), Fred (Manchester United) e o goleiro Alisson Becker, contratado recentemente pelo Liverpool.

O acordo prevê a transmissão de 32 partidas da temporada 2018/2019, entre agosto e maio do ano que vem.

 


Federação acusa ex-presidente de desviar verba e busca reembolso de R$ 3 mi
Comentários 1

Eduardo Ohata

A Federação Paulista de Luta Olímpica entrou na Justiça com uma ação em que pede o ressarcimento de R$ 3 milhões de seu ex-presidente Elísio Macambira, acusado de ter desviado verbas oriundas de convênios com o Estado e com o Município de São Paulo.

Segundo documentos anexados à ação, à qual o blog teve acesso, há diversos processos contra a federação que pedem a devolução de verbas públicas cujo objetivo era a organização de eventos esportivos à época que a entidade era presidida por Macambira, que ficou à frente da entidade de 2001 a 2015.

Ao apresentar seu pedido, a federação, sob o comando de Fernanda Peres desde 2015, alega que na gestão anterior houve falhas administrativas na realização dos eventos esportivos e nas prestações de contas e que o ex-presidente deixou de apresentar defesa nos processos apresentados pela Fazenda contra a entidade, que culminou com a determinação para que a Fepalo devolvesse a verba em razão da falta de apresentação de defesa ou justificativa para os gastos.

Além do pedido de ressarcimento da parte dos entes públicos, a federação também está impedida de receber dinheiro público e de lançar mão da Lei de Incentivo ao Esporte. A situação também provocou uma ação civil-pública que visa impedir que a Fepalo utilize espaços públicos para organizar competições.

A ação, que tem como advogado Higor Bellini, argumenta que ''se aconteceu algum desvio, este se deu em razão de atitudes pessoais dos antigos gestores, não da entidade, representada pelo seu presidente, o agora réu''. Assim, por essa linha de raciocínio, ''havendo uma má gestão… são os gestores que estavam à frente da administração… quem devem responder pelos valores pleiteados na ação porque… agiram contra os interesses da entidade, razão pela qual devem responder com os seus bens pessoais pelas alegadas irregularidades''. O documento cita o artigo 24, parágrafo 2º da lei 13.155/15 e o artigo 158 da lei 6.404 de 15 de dezembro de 1976.

Por meio de contato telefônico com o blog, o ex-presidente Elíseo Macambira refutou as acusações e informou ter deixado o mundo dos esportes.

''Todo o dinheiro [público] foi usado pela federação em eventos, e todos os eventos foram aprovados pelo estado'', defendeu-se Macambira. ''A federação não pode entrar com ação, faz mais de cinco anos que aconteceram os fatos, a documentação na secretaria [de Esportes] já foi para o arquivo. Não faço mais parte da federação e não quero nunca mais trabalhar com esporte, a luta olímpica só me decepcionou. É um absurdo a Secretaria de Esporte aprovar um evento e alguém da Secretaria da Fazenda te condenar.''

 

 


Leilão de direitos de TV da Sul-Americana é encerrado sem ter um ganhador
Comentários 10

Eduardo Ohata

O leilão dos direitos de TV da Sul-Americana foi encerrado pela Conmebol sem que um ganhador fosse apontado. As propostas das emissoras haviam sido encaminhadas em 6 de junho.

Sem que um vencedor fosse declarado, as negociações passaram a ser conduzidas por meio de conversas tête-à-tête da agência IMG diretamente com as emissoras brasileiras interessadas em transmitir a competição.

Um dos entraves para a declaração de um vencedor passou pelas propostas financeiras apresentadas pelas emissoras, que ficaram aquém do esperado, mas outros detalhes, de teor técnico e comercial, que se referem a condições colocadas por emissoras também influenciaram para a ausência de um desfecho.

A Conmebol, pela primeira vez, dividiu os direitos da Sul-Americana, válidos pelo período entre 2019 e 2022, em dois pacotes: O pacote ''A'' contempla a transmissão com exclusividade da final e a ''primeira escolha'' de jogos da Sul-Americana; e o pacote ''B'' contempla a transmissão com exclusividade da Recopa e a ''segunda escolha'' de jogos da Copa Sul-Americana.

O leilão foi dividido em dois territórios, América Latina e Brasil, o que mostra a importância dada ao mercado nacional no mundo dos direitos esportivos, apesar da crise financeira e farta oferta de direitos de transmissão oferecidas às emissoras brasileiras.

Atualmente, a Copa-Sul-Americana é exibida pelo Fox Sports, Globo e SporTV.


Conselho do Palmeiras votará polêmica do aditivo contratual da Crefisa
Comentários 5

Eduardo Ohata

O conselho deliberativo do Palmeiras votará se o aditivo contratual da Crefisa com o clube é ou não irregular como aponta o Conselho de Orientação Fiscal. O presidente do conselho deliberativo, Seraphim del Grande, convocará assembleia extraordinária para o dia 20 de agosto, quando a questão será decidida pelos conselheiros. O presidente Mauricio Galiotte já pretendia convocar uma reunião do conselho para discutir os contratos com a patrocinadora, conforme o UOL Esporte noticiou.

O COF reprovou os balancetes dos meses de janeiro e fevereiro da gestão do presidente Mauricio Galiotte sob o argumento de que os aditivos provocaram prejuízos ao clube. Leila Pereira, dona da Crefisa, rebateu a acusação em entrevista ao blog na semana passada.

''Os balancetes de janeiro e fevereiro não foram aprovados e, pelo andar da carruagem, essa situação pode se repetir até o final do ano'', explicou Del Grande. ''O presidente [Galiotte] não pode ficar nessa situação, então o conselho deliberativo vai decidir essa situação.''

Segundo membros da oposição, o assunto só poderia ir para o conselho deliberativo pelas mãos do COF, o que não aconteceu. A tese é rebatida por Del Grande.

''O presidente do executivo ou o COF podem convocar o conselho deliberativo'', argumenta Del Grande. ''O COF, aliás, já deveria ter feito isso, porque essa situação não pode se repetir até o fim do ano.''

Outras questões apontadas pela oposição são o fato de existirem na gestão cerca de 120 conselheiros nomeados diretores pela gestão, o que tentou-se coibir por meio de um artigo que foi voto vencido na reforma estatutária, e que passar decisões sobre os balancetes ao conselho deliberativo esvazia o poder do COF, que é um órgão composto por membros eleitos. ''A competência de aprovar os balancetes mensais é do COF, cabe ao conselho deliberativo aprovar ou rejeitar o balanço anual'', explicou Savério Orlandi, membro do COF.

As alterações contratuais mudaram a maneira como a financeira contabiliza os aportes que faz no clube para a contratação de jogadores. Antes, os gastos eram registrados como despesas de marketing. Assim, o valor era descontado do lucro da empresa, reduzindo os impostos a serem recolhidos. Após denúncia à Receita Federal, que resultou em multa à Crefisa, os gastos com contratações passaram a ser registrados como empréstimos após celebração de aditivo em janeiro deste ano.

 

 

 


“Não vou renovar o patrocínio para uma pessoa inimiga”, diz Leila
Comentários 248

Eduardo Ohata

Em meio a uma guerra política com o ex-padrinho político Mustafá Contursi, que passa pela campanha pelo aumento do mandato do aliado e presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte, Leila Pereira acena com a possibilidade de a Crefisa deixar de patrocinar o clube. Em entrevista ao blog durante evento com sócios e conselheiros pelo ''sim'' à reforma do estatuto, a empresária afirmou que se a coalização que trabalha pelo ''não'' eleger um candidato de oposição à presidência, a Crefisa deixa o clube.

Em prol da alteração do estatuto do Palmeiras, que por tabela facilita uma eventual candidatura à presidência em 2021, Leila argumentou que aqueles que trabalham contra (leia-se Mustafá) são ''retrógrados''. Está nos seus planos estender o embate com Mustafá, que chegou à esfera policial por causa de um suposto caso de cambismo com ingressos da Crefisa, à eleição do Conselho Deliberativo em fevereiro do ano que vem, quando buscará minar a influência do ex-presidente no órgão e, por consequência, na vida política do Palmeiras.

Leila Pereira fala a sócios e conselheiros durante evento

Blog do Ohata: Nesta semana o Comitê de Orientação Fiscal do Palmeiras rejeitou outro balancete da gestão. Você pretende colocar o pé no freio nos investimentos em jogadores enquanto isso estiver se repetindo?

Leila Pereira: Os problemas nesse órgão são eminentemente políticos, isso é obvio. O clube é superavitário, vai fechar o primeiro trimestre com lucro de R$ 40 milhões. Isso vai ser resolvido no Conselho Deliberativo, que dá a última palavra. O presidente não nos pediu mais ajuda financeira em novas contratações, mas se tiver, terá de ser nos termos desse novo contrato, como foi o caso do Lucas Lima, no qual contribuímos na aquisição através desse novo modelo. De lá para cá, não houve nova solicitação do presidente [Mauricio Galiotte]. Não posso dizer, 'nunca mais vou fazer isso'. Se tiver condições, se o valor for dentro do orçamento, estou sempre aqui para contribuir com o Palmeiras. Essa dificuldade que está se criando é de caráter político, vem do grupo que patrocina o 'não' às reformas que serão votadas na assembleia geral do dia 4 [de agosto], são os mesmos que derrubaram o Palmeiras duas vezes à segunda divisão. [Enfática] são esses.

Você está se referindo aos ex-presidentes Mustafá e Tirone?

Não quero citar nomes, mas todos sabemos. São essas pessoas que estão lutando pelo não, que encabeçam a reprovação das contas. Se não são só essas, são pessoas que estão indo na linha dessa gente. O que eu acho mais estranho é que até poucos meses atrás [esses grupos] eram rivais. Todos se uniram contra a votação do 'sim'. Conceitualmente não tem como você votar pelo 'não', contra o mandato de três anos, então eles encontraram essa válvula para atormentar a vida do clube e de um patrocinador [Crefisa] que já colocou mais de meio bilhão de reais no clube. Como um patrocinador desses pode dar prejuízo ao clube? Tem duas vertentes, dos dirigentes ultrapassados, que ficam agarrados ao clube e não soltam de jeito nenhum. Eles querem que fique dois anos para que, ano sim, ano não, fique aquela balbúrdia, para sempre o candidato a presidente ficar negociando cargos com eles. E tem as pessoas que no início da reforma estatutária, em 2013 [na gestão Paulo Nobre], eram a favor dos três anos, sempre foram, mas agora como eu sou conselheira e eles vislumbraram a possibilidade de eu querer ser candidata a presidente, ficam fazendo conta, 'se aprovar isso agora, daqui a três anos a Leila pode ser presidente', então é uma forma de me barrarem. Mas sou uma conselheira comum, se não for candidata em 2021, posso ser em 2022, 2024, isso não impede um conselheiro de ser candidato…

Então você quer ser candidata a presidente?

Gente, não sou candidata a nada. Nunca vi ninguém fazer campanha eleitoral com três, quatro anos de antecedência. Eles têm o receio de que daqui a três anos eu possa ser candidata. E qual o problema? Sou uma mulher que não tem medo de ninguém, se eu achasse que é o melhor para o clube me candidatar em 2022, eu me candidato, contra quem quer que seja. Mas esse não é o motivo para apoiar os três anos, estou apoiando pela modernidade, porque toda essa gente que nunca deixou o clube crescer está apoiando o lado contrário, eles querem que continue como está, e nós não queremos isso.

Depois do bate-boca após a última reunião do conselho deliberativo, reclamaram de arrogância por você ter perguntado quem colocaria o dinheiro pago pela Crefisa se ela saísse. Concorda que isso pode ter trabalhado contra?

Sou muito clara, só falei a verdade. O Brasil inteiro sabe que nosso patrocínio é o maior da história para o futebol nas Américas. Eles são irresponsáveis. A partir do momento em que tentam indispor o patrocinador com o clube, para que o patrocinador saia, eles teriam que ter a responsabilidade de dizer, 'patrocinador, você caia fora, mas vou pôr uma empresa que coloca um valor tão relevante como o que você coloca'. Mas ninguém dos que reclamam põe um centavo, não apresentam alternativas, então não acredito que falar a verdade seja ferir susceptibilidades. A grande maioria dos conselheiros apoia o patrocinador.

Qual as outras prioridades para a assembleia geral do dia 4?

A Lei de Incentivo Fiscal, da qual a o Palmeiras já poderia estar se beneficiando há tempos, mas nenhum desses ex-presidentes se interessaram. Foram colocados alguns requisitos no estatuto para que isso aconteça. Podemos arrumar empresas que aportem para os esportes amadores, basquete, vôlei, natação. A vantagem para o sócio é que a partir do momento em que o clube não precisa desembolsar para os esportes amadores, sobra receita para as áreas sociais do clube.

Com só uma reeleição de presidente, como é hoje, o estatuto não está adequado? Foi o que um conselheiro me disse.

É mentira. A Lei de Incentivo exige alguns requisitos que o estatuto não tinha, e que não têm a ver com o mandato.

Outro ponto questionado é o valor de R$ 20 milhões que a Crefisa poderia investir por meio de incentivos fiscais, classificado como ''impossível'' por membros do grupo que defende o 'não'.

[Irritada] Ele sabe quanto eu pago de imposto? Não sabem, então como ele sabe que é impossível? Não vou ficar discutindo valores com você agora. Mas quando aprovar, vou te mostrar, 'olha quanto nós aprovamos…' Fora que não é só a Crefisa, vou tentar buscar parceiros que aportem também aqui no clube. Gostaria que dessem uma entrevista para você falando, 'trouxemos essa, essa e essa empresa que irão apoiar o Palmeiras'. Mas ninguém faz nada pelo Palmeira, só falam…

Como ficou na reforma do estatuto a questão da diminuição do número de vitalícios?

Eu pessoalmente votei pela diminuição, acho importante para oxigenar o conselho, mas não passou. Numa próxima reforma, a gente vai colocar novamente em pauta a diminuição dos vitalícios.

Você falou em 'oxigenar' o conselho. Soube que você já está pensando nas eleições do conselho em fevereiro para minar o curral eleitoral do dirigente a quem você chama de ultrapassado. Você confirma?

Sim, não só dele, como os dos satélites que orbitam em torno dele e que também são totalmente ultrapassados. A gente precisa ter cabeças novas, pensando no Palmeiras para a frente, não pensando no Palmeiras na obscuridade, em reuniões que ninguém sabe o que eles conversam, o que é tratado. Nossas reuniões são assim [gesticula para o salão do Palmeiras ocupado por sócios e conselheiros convidados], abertas, como esta que tem 700 pessoas, o importante é abrir para as pessoas ouvirem. Aqui tem gente que quer um Palmeiras moderno.

Mas então você reconhece que o clube está dividido?

Sim. Mas a outra parte é um grupo muito pequeno, que faz um barulhinho.

Mas a vitória de vocês que votaram pelo 'sim', foi por uma margem muito pequena, por três votos.

Se você pensar bem, foi uma votação muito relevante, foram 143 votos que a gente precisava do total de conselheiros mais um. Se você imaginar que vieram 143 conselheiros votando 'sim' pela reforma, é muita gente. Com a modernidade vencendo o ultrapassado. Não estou desmerecendo as pessoas antigas, pelo contrário. Votam pelo 'sim' pessoas que estão no clube desde que nasceram. Luto contra essas pessoas que querem o Palmeiras pequeno, na balbúrdia, pois só assim eles conseguem aparecer.

Quanto você lucrou com negociações de jogadores do Palmeiras?

Nunca recebi um centavo. Um dos contratos era do Victor Hugo, que foi vendido, o presidente solicitou que fosse adquirido outro jogador, e nós não recebemos. Vamos receber no futuro. Então essa celeuma dos aditivos é uma falácia. O Palmeiras nunca teve, e nunca terá prejuízo com esse patrocínio, que é tão grande, que ele próprio 'paga' esses jogadores. Dizem que estou diminuindo o Palmeiras quando digo que o patrocínio é um valor acima ao de mercado. Não estou diminuindo o Palmeiras, pelo contrário, eu acho que vale. Sabe porquê? Porque sou palmeirense, eu acho que vale. Mas veja que outros times grandes recebem valores bem menores. Então com essa gordura, em um ano e meio, eu pagaria todos esses contratos. Então como esse contrato pode dar prejuízo ao clube? Quem dá prejuízo ao clube são pessoas que estão agarradas ao clube, que vivem do clube e que nunca fizeram nada pelo Palmeiras. É essa gente que age de má fé que queremos tirar daqui. Prejuízo haveria se não houvesse o patrocinador como o Palmeiras tem, de apaixonados pelo clube. É isso que eles querem, que o patrocinador saia.

O contrato do Palmeiras com a Crefisa vence em 2019, e a eleição do presidente do executivo, em novembro deste ano. Se o presidente Galiotte não for reeleito, vocês podem ir embora?

Não sei se o Mauricio vai ser candidato, mas é óbvio que se forem eleitas essas pessoas que estão atacando violentamente o patrocinador, é óbvio que não vou renovar o patrocínio, tendo a caneta na mão, para uma pessoa que é minha inimiga. Uma pessoa que ofende o patrocinador nos quatro cantos. Mas não acredito que isso vá acontecer, o Palmeiras não pode retroceder. Se a oposição vencer, eles que atacam tanto o patrocinador, eles tem que ter a responsabilidade de arrumar outro patrocinador. Eles atacam tanto o patrocinador, que querem ver o patrocinador pelas costas, não é? Se eles conseguirem eleger alguém que não gosta do patrocinador, não é o patrocinador que vai sair daqui, eles vão tirar o patrocinador daqui, e eu acho que eles é que vão ter a responsabilidade de colocar outro. Se esses críticos ganharem a eleição, eles não vão querer a Crefisa e a FAM como patrocinadoras, isso eu tenho certeza, e o que eles terão que fazer, já que se indispuseram com o patrocinador, não o quiseram aqui, eles terão de arrumar outro, será deles a responsabilidade.

Falando sobre futebol, você está satisfeita com o futebol do Palmeiras?

Eu gostaria que o Palmeiras estivesse entre os dois primeiros da tabela, é claro que não, todos nós torcedores gostaríamos que estivesse melhor. Mas está no início do campeonato, na 15ª rodada? Mas é claro que esperamos mais.

A falta de títulos incomoda?

Claro que sim. Estamos mal acostumados; título nacional em 2015; outro título nacional em 2016; e em 2017 fomos vices. Mas não podemos esquecer o que passamos em 2014, quando não caímos [Palmeiras] por um milagre. Antes, a emoção forte era quando não caía, isso é uma vergonha.

Como está acompanhando a negociação entre Palmeiras e Globo do contrato de transmissão na TV aberta do Brasileiro a partir de 2019? Como patrocinador, qual a importância da visibilidade de ter a marca estampada no canal?

Sou uma grande patrocinadora da Globo, [é importante] para qualquer marca, pela visibilidade, pela audiência, ter minhas marcas em jogos transmitidos pela Globo. Espero que dê tudo certo, mas quem negocia é o presidente Galiotte. Eu não me meto nisso.

 


Mesmo com reforço de CR7, Italiano corre risco de começar sem TV no Brasil
Comentários 13

Eduardo Ohata

Com menos de um mês para o pontapé inicial do Italiano, previsto para o fim de semana dos dias 18 e 19 de agosto, há o risco de o campeonato ter início sem que a IMG, detentora dos direitos de transmissão, tenha fechado com alguma emissora de TV no Brasil.

A gigante do marketing esportivo gostaria de acertar um acordo antes do pontapé inicial, mas adotou a posição de não ser refém da data do início do Italiano, o blog apurou. Trocando em miúdos, não pretende aceitar qualquer oferta sob o argumento de que o campeonato está para começar. Se for necessário, embora não seja o cenário ideal, a IMG pode até ''segurar'' a definição para quando a bola estiver rolando.

A transferência de Cristiano Ronaldo do Real Madrid para a Juventus reacendeu o combalido apetite das TVs brasileiras pelo ItalianoCinco emissoras brasileiras mostraram interesse pelos direitos da Série A, conforme o UOL de Primeira relatou.

A realização de um leilão dos direitos foi descartada, e as negociações acontecem tête-à-tête, até pelo tempo exíguo das negociações, que posteriormente exigirá a formatação de um pacote comercial pelas emissoras, que terão de ir a mercado para vendê-lo. Até o momento as conversas em andamento tratam de aspectos financeiros, e não se chegou à fase de detalhamento de como serão as transmissões.

A bilionária aquisição dos direitos globais do Italiano, com a exceção da transmissão pela TV italiana, foi um dos principais investimentos da IMG nos últimos anos.


Sem Copa, ESPN vê audiência crescer 27% no horário nobre em relação a 2014
Comentários 17

Eduardo Ohata

Após ficar pela primeira vez desde 2002 sem os direitos de transmissão da Copa, a ESPN Brasil registrou durante o horário nobre, entre 22h e 1h, um crescimento de 27% em relação ao Mundial de 2014 no público-alvo de homens entre 18 e 49 anos. A emissora registrou a segunda colocação entre os canais esportivos na faixa, com uma média de 0,40 pontos, segundo o Kantar-Ibope, ficando atrás do SporTV.

Os programas exibidos pela ESPN Brasil na faixa horária foram o ''Linha de Passe'' que, exibido diariamente durante a Copa, garantiu a vice-liderança em dois terços da Copa entre o público-alvo, enquanto o SportsCenter terceira edição, com a dupla Paulo Soares e Antero Greco, ocupou a primeira e a segunda posição, também entre os canais esportivos, em mais da metade do Mundial. Trata-se de uma audiência respeitável para uma emissora que não exibiu partidas da Copa, cuja transmissão de partidas ao vivo ajudam a alavancar as audiências.

No caso do ''Linha de Passe'', pesou o pesou a audiência do público formado por homens entre 18 e 34 anos, que cresceu 56%, se comparado à Copa passada.

Em eventos no período pré-Mundial, o vice-presidente de jornalismo e produção da ESPN Brasil, João Palomino, havia explicado que, sem os direitos da Copa, a aposta da emissora seriam programas nos quais fosse destacado o know-how e o jornalismo da equipe do canal durante as 16 horas diárias de conteúdo ao vivo. Os melhores índices foram registrados durante faixas horárias nas quais a bola não rolava.